terça-feira, 28 de março de 2017

Livro-Minuto: "O nunca mais não é verdade"

video
Aprendi a fazer a dobradura do Livro-Minuto com o Samuel Medina e o Rodrigo Teixeira que oferecem uma oficina de produção de livros neste modelo na Biblioteca Infantil e Juvenil de BH. Hoje participei da Oficina de Escrita Criativa, mediada por Felipe Diógenes, e a partir de uma das propostas de escrita, na qual cada participante retirava uma frase de uma caixinha, produzi esse breve texto que compõe o meu primeiro Livro-Minuto. A frase que retirei foi "O nunca mais não é verdade". Aqui vocês poderão assistir o vídeo da leitura que faço dele.

domingo, 26 de março de 2017

Agradecimentos e um "Até Breve"

Há três anos eu entrava no Colégio e Faculdade Batista como bibliotecária a convite do então coordenador da Biblioteca, Igor Resende Quintal, a quem agradeço pela oportunidade. Muitas eram as expectativas dentro de mim em relação ao novo emprego, afinal eu seria bibliotecária de uma biblioteca escolar e universitária a partir daquele momento: duas bibliotecas, dois tipos de público e demandas diversificadas, uma dupla missão. Iniciei minha atuação com o treinamento de dois bibliotecários muito competentes, Igor (meu coordenador) e Regina Segurado e com apoio de uma equipe muito empenhada. Nosso desejo era atrair os alunos para o espaço da biblioteca, assim como transportar um pouquinho do universo da biblioteca para os demais espaços da Instituição. Foram muitos os momentos em que, na interação com os leitores, além de colocar meu trabalho em prática, aprendi e cresci, pessoal e profissionalmente. Agradeço aos alunos que me receberam tão bem na Biblioteca, o que me motivou diariamente a trabalhar por e para eles, que deram sentido a tudo que realizamos. Ainda estão bem fresquinhas em minha memória algumas lembranças como: os encontros literários com o Prof. Rafael e as turmas do 9° ano; as pausas musicais organizadas pelo Prof. Shibas e os alunos do 7° ano e ensino médio; os clubes do livro mediados pela Profa. Fabíola após as aulas; o Sarau Poético  com as turmas da Profa. Fernanda Riggio; os bate-papos com os escritores Samuel Medina e Ana Faria; nossos piqueniques literários e cinemas na biblioteca; os encontros de contação de histórias (dentre eles, a primeira vez em que contei histórias para bebês no berçário); as conversas apressadas sobre as nossas leituras durante os intervalos de aulas. Estes e muitos outros momentos me marcaram profundamente e só vieram confirmar que escolhi a profissão certa e reforçar o quanto amo os livros, os leitores e as bibliotecas. Em todos os projetos, contei com grandes parceiros, profissionais educadores comprometidos com suas missões, pois eles são presentes na Biblioteca por reconhecerem o valor e a função desta na educação. A eles faço questão de deixar aqui meu agradecimento especial, reconhecendo que sem essas parcerias, seria inviável realizar muitas propostas. Com eles, me senti apoiada e motivada a prosseguir. Agradeço ainda aos pais dos alunos, que confiaram em meu trabalho e me permitiram compartilhar com seus filhos os prazeres e as venturas que a literatura e o conhecimento podem proporcionar. Sempre me lembrarei do pai que me procurou na Biblioteca para cumprimentar e reconhecer meu trabalho dizendo “quero que minha filha fique perto de você”, e ainda aquela mamãe que me encontrou no restaurante e pediu pra abraçar “a bibliotecária da escola da filha dela.” Ainda sorrio lembrando de alunos que ao me reconhecerem nos corredores da escola corriam para abraçar e falar do livro que estávamos lendo. Além destas, muitas foram as experiências boas que levarei comigo. Como me disse uma aluna do 3° ano em um dos encontros de contação de histórias: “- Tia, me lembro que você nos contou aquela história do Monteiro Lobato e pra não te esquecer, te desenhei”, também desenho hoje dentro de mim todas essas lembranças para não esquecê-las dentre tantas coisas boas que a vida me proporcionou nesses três anos. Nada foi simples de viver, nem sempre foi bom e fácil aprender para amadurecer, mas certamente as coisas boas foram tão mais relevantes que fizeram valer a pena cada minutinho das experiências que vivi.  Espero sinceramente que eu tenha contribuído para a formação de pessoas, leitores, cidadãos e futuros profissionais na Biblioteca da Rede Batista, assim como eles (os leitores e colegas de trabalho) contribuíram para minha formação. Obrigada a cada um que participou desta minha etapa profissional, parte de uma longa história, especialmente àqueles amigos que  fiz e serão para a vida toda. Desejo a todos muito amor, paz, alegrias e sucesso sempre. Viva a literatura, os leitores e as bibliotecas!